sábado, 20 de dezembro de 2008

Razão e emoção! Emoção e razão!

Sou guiada por emoções.
Sou de sentir o momento, deixar o coração falar.
Meu espírito vive me pedindo: vai com calma! sossega!
Use a razão!

Mas não consigo!

Impressionante: sou honesta demais pra ser fria e calculista.
Impressionante: sempre me explode uma bomba na cara por isso.
Ou quem sabe um soco tbm!

É, vivo apanhando da vida.

E a alma continua pedindo: sossega!
E eu continuo batendo na tecla: sou honesta com os sentimentos, com as pessoas, com a minha VERDADE!
Sinto que as pessoas me olham com espanto certas vezes.
Sei que não sigo os padrões necessários pra se viver em paz na sociedade.

Não sigo padrões de comportamento.
Não sigo normas.

E por causa disso sinto milhões de olhos vigiando minha vida.Meus passos.Meus pequenos atos. Falhos ou não.

Estou cansada.
Porra, vai cuidar da tua vida!
Deixa a minha tá??

*********

Deixando o desabafo de lado, hj eu acordei, um puta de um mau humor! Dos bravos! E abrí a esmo um livro que ganhei de um certo gaúcho. E eis o trecho:

Nos rumos que a despedida
nem quis nem soube guardar,
ficaram, sem escutar,
assombros de voz perdida.

Distância nunca vencida
se fez amante de arreios,
e a força d' espora e freios,
léguas ficaram sem fim:
na frente, voz de clarim,
na volta, tapeando anseios.

Voltarei por ti... e por mim...!

Roberto Mara


*********

Bom, não preciso falar mais nada!



Um comentário:

Ana Rocha disse...

Engenheiros do Hawaii - Faz parte

Por um pedaço de pão, por uma estória pra contar
Por acaso, por um triz, só pra contrariar tua direção
Tua mão a indicar o rumo certo, o caminho mais curto

Não vou agora, não: não quero te encontrar
Preciso me perder como preciso de ar

Perder o rumo é bom se perdido a gente encontra
Um sentido escondido em algum lugar

Devolva-me o que você levou... ou
Leve-me contigo: perca-se comigo

Sempre me perco pelas mesmas ruas
Não trago mapas, não leio as placas
Não sigo pegadas quando sei que são tuas

Não vou agora, não: não quero te encontrar
Preciso me perder como preciso de ar
Se perdi o tom foi pra escapar da tua atração:
Canto de sereia em alto mar

Devolva-me o que você levou... leve-me contigo: perca-se comigo