sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Uma década... um vão!


Ainda á procura
Mentira, estou cansada.
A espera é longa, os dias são muitos.
Estou cá pensando: mas que porra é esta?
É amor, puro.
Mas infelizmente solitário. Zombam de mim. Caçam minha pele vampira.
Meus olhos afogueados
A tristeza nua e crua de esperar.
Serei tua?
Sim, ás vezes. Quando queres, quando te esqueces de tuas correntes.
Controles sociais. Desajustes mentais e corporais.
Esperar demais me dói. Arranca o resto de humanidade que ainda existe em mim.
A mais de década.
É demais.
Amor demais.
Paixões explodem, esfriam.
Amor massacra. Destina-me cada vez mais á solidão.
Uma década em vão.
Me ame, mesmo escondido.
Traia, rasgue, mas não me apague. O botão delete começou... cada vez mais rápido e preciso.
Está apagando este ser.
Uma cama molhada, duas palavras, um vestir de roupa apressado e um até logo.
É oque estou me tornando.
Crua, nua aos olhos dos outros.
Sem você.
Infinitamente.

Um comentário:

T.H. disse...

"Esperar demais me dói. Arranca o resto de humanidade que ainda existe em mim."